Página inicial do sítio > Informação > Notícias (Press Review) > Lusofonia (pt) > No Brasil o Acordo Ortográfico será obrigatório a partir de 2016

No Brasil o Acordo Ortográfico será obrigatório a partir de 2016

sexta-feira 28 de Dezembro de 2012, por Publico

Todas as versões deste artigo : [français] [Português]

Governo brasileiro adiou a aplicação obrigatória para daqui a três anos.


O Governo brasileiro adiou esta sexta-feira a aplicação obrigatória do novo acordo ortográfico por três anos, para 1 de Janeiro de 2016, de acordo com o decreto publicado no Diário Oficial da União.

Até então, o decreto promulgado em 2008 previa a aplicação obrigatória das novas regras em Janeiro de 2013, ou seja, na próxima terça-feira.

A iniciativa do adiamento surgiu após um pedido de parlamentares da Comissão de Educação do Senado, que ouviram, numa audiência pública, as críticas de destacados linguistas brasileiros às novas regras.
Como não havia tempo útil para a aprovação de um projecto parlamentar, a solução foi negociada com o Governo, disse à Lusa o senador Cyro Miranda no início do mês. Desde Janeiro de 2009, quando começou oficialmente a adesão do Brasil ao acordo, o uso da nova grafia é opcional, e vai continuar a ser até 31 de Dezembro de 2015.

O adiamento, defendido por parlamentares e linguistas, está a gerar polémica entre educadores e alunos que já estão a adoptar as novas regras.

Para os especialistas, como o linguista e professor brasileiro Ernani Pimentel, o adiamento é um primeiro passo para a reforma do novo acordo, que, na sua opinião, não simplifica suficientemente a língua portuguesa.

O Governo brasileiro adiou esta sexta-feira a aplicação obrigatória do novo acordo ortográfico por três anos, para 1 de Janeiro de 2016, de acordo com o decreto publicado no Diário Oficial da União.
Até então, o decreto promulgado em 2008 previa a aplicação obrigatória das novas regras em Janeiro de 2013, ou seja, na próxima terça-feira.

A iniciativa do adiamento surgiu após um pedido de parlamentares da Comissão de Educação do Senado, que ouviram, numa audiência pública, as críticas de destacados linguistas brasileiros às novas regras.

Como não havia tempo útil para a aprovação de um projecto parlamentar, a solução foi negociada com o Governo, disse à Lusa o senador Cyro Miranda no início do mês. Desde Janeiro de 2009, quando começou oficialmente a adesão do Brasil ao acordo, o uso da nova grafia é opcional, e vai continuar a ser até 31 de Dezembro de 2015.

O adiamento, defendido por parlamentares e linguistas, está a gerar polémica entre educadores e alunos que já estão a adoptar as novas regras.

Para os especialistas, como o linguista e professor brasileiro Ernani Pimentel, o adiamento é um primeiro passo para a reforma do novo acordo, que, na sua opinião, não simplifica suficientemente a língua portuguesa.

Publico


PortugalVivo

Tous droits réservés (Portugal Vivo®) Ce site ainsi que sa charte graphique sont protégés par un copyright© international qui interdit toutes reproductions mêmes partielles.
La société Portugal Vivo® est habilitée à poursuivre toutes personnes morales ou physiques violant le copyright©
Dans le cadre de la revue de presse, Portugal Vivo utilise des articles ou photos dont il nâ€â„¢est pas lâ€â„¢auteur. Ces éléments restent la propriété de leur auteur. Portugal Vivo cite systématiquement le journal source avec un link vers celui-ci.
Mentions Légales : PORTUGAL VIVO - 102 avenue des Champs Elysées, 75008 Paris - France | SARL au capital de 15.000 ââ€Å¡¬uros - R.C.S. Paris B 441 119 286 | Représentant Légal : Jorge Loureiro | email : net@portugalvivo.com