Portugal Vivo

Página inicial do sítio > Sugestão > Cruzeiros > Portugal (Notícias) > Mude a sua ceia este Natal

Mude a sua ceia este Natal

E porque não comer polvo em vez de bacalhau, ou oferecer coisas feitas por si?

Todas as versões deste artigo : [français] [Português]

Neste Natal seja diferente e troque o bacalhau pelo polvo, na noite de consoada.



Este é um dos conselhos dados pela Quercus, numa época em que os “erros ecológicos” se sucedem.

A presença do bacalhau à mesa deve ser reconsiderada, mas “quem não consegue resistir a este peixe, deve comprar um bacalhau de grandes dimensões, cerca de 900 gramas. Este já se reproduziu e deixou um legado para as gerações futuras”, refere Susana Fonseca, da associação ambientalista. Mas o mais correcto é a sua substituição, para evitar “rupturas nos próximos anos”.

Mas não é só o bacalhau que se deve evitar. “As árvores devem ser bem escolhidas. Ou se opta por uma artificial que pode durar décadas ou, se se preferir uma natural, escolha-se uma com raiz, num vaso, caso se possa mantê-la durante o ano”, diz Susana Fonseca.

Já são escassas as queixas sobre venda de azevinho, espécie em extinção, mas ainda existem: “Em algumas zonas cortam para levar para casa.” Por isso os ecologistas aconselham o uso de imitações artificias.

O uso excessivo de embalagens, a compra de produtos sem utilidade, ou pouco educativos no caso das crianças, são erros frequentes para que a Quercus alerta. “Por vezes é uma boa opção a oferta de um cheque-prenda”, sugere.

O Instituto do Consumidor aconselha neste Natal:

- Embale os presentes em embalagens à base de amido que se decompõem no prazo de seis dias a seis semanas.

- Compre um pinheiro de Natal produzido especialmente para a época. Caso opte por uma árvore artificial, tente saber a origem, já que a maioria é fabricada em países distantes, o que implica um grande gasto de energia em transporte.

- Para se penitenciar do desperdício de energia ofereça um Certificado de Compensação de Emissões. O valor é aplicado em projectos de diminuição de dióxido de carbono na atmosfera, como programas de reflorestação.

- Se recebeu de presente um livro que já leu ou uma peça de roupa que não lhe serve, não os mande para o lixo. Ofereça-os a uma instituição de solidariedade social.

- Há muitos produtos que podem ser reutilizados, como as pilhas recarregáveis ou os perfumes com recargas.


Il n'y a pas d'événements au calendrier.


PortugalVivo

Tous droits réservés (Portugal Vivo®) Ce site ainsi que sa charte graphique sont protégés par un copyright© international qui interdit toutes reproductions mêmes partielles.
La société Portugal Vivo® est habilitée à poursuivre toutes personnes morales ou physiques violant le copyright©
Dans le cadre de la revue de presse, Portugal Vivo utilise des articles ou photos dont il nâ€â„¢est pas lâ€â„¢auteur. Ces éléments restent la propriété de leur auteur. Portugal Vivo cite systématiquement le journal source avec un link vers celui-ci.
Mentions Légales : PORTUGAL VIVO - 102 avenue des Champs Elysées, 75008 Paris - France | SARL au capital de 15.000 ââ€Å¡¬uros - R.C.S. Paris B 441 119 286 | Représentant Légal : Jorge Loureiro | email : net@portugalvivo.com