Página inicial do sítio > Informação > Notícias (Press Review) > Comunidade Lusófona de França (Noticias) > Blindness abre Cannes

Blindness abre Cannes

Filme brasileiro adaptado a partir de romance de Saramago

terça-feira 13 de Maio de 2008, por O Primeiro de Janeiro

Todas as versões deste artigo : [français] [Português]

O filme “Blindness”, que o realizador brasileiro Fernando Meirelles rodou a partir de um romance de José Saramago, abre amanhã o Festival de Cinema de Cannes, cuja 61ª edição prestará ainda homenagem a Manoel de Oliveira.


O escritor José Saramago não estará presente na antestreia mundial, que adapta para o grande ecrã o romance “Ensaio sobre a cegueira”, mas “Blindness” será um dos filmes em destaque nesta 61ª edição, abrindo oficialmente o festival e integrando a competição.

Saramago já viu outras obras suas serem adaptadas para cinema, como “Jangada de pedra”, mas “Blindness” assume contornos mais mediáticos, já que o realizador brasileiro Fernando Meirelles conta no currículo com filmes como “Cidade de Deus” e “O fiel jardineiro”. Neste “thriller”, que relata uma inexplicável epidemia de cegueira que atinge uma comunidade, excepto uma mulher, entram os actores Julianne Moore, Mark Ruffalo, Danny Glover e Gael García Bernal. O filme integra a competição oficial pela Palma de Ouro ao lado de outras 21 longas-metragens, entre as quais, de Clint Eastwood, “Changeling”, e, de Steven Soderbergh, “Che”, um “biopic” com quase cinco horas de duração sobre Che Guevara, protagonizado por Benicio del Toro.

Fora de competição, o destaque tem sido dado às exibições de “Indiana Jones e o reino da caveira de cristal”, com o regresso do mais aventureiro dos arqueólogos quase vinte depois de estreada a trilogia, do documentário “Maradona”, de Emir Kusturica, e do mais recente filme de Woody Allen, “Vicky Cristina Barcelona”.

O júri que escolherá o melhor filme é presidido pelo actor norte-americano Sean Penn. O festival de Cannes presta ainda homenagem a Manoel de Oliveira, que completa cem anos em Dezembro, e exibe no dia 19 no Grand Théâtre Lumière, “Douro, faina fluvial”, o primeiro filme do decano cineasta português.

O ministro da Cultura, José António Pinto Ribeiro, estará presente nesta homenagem, na qual o presidente do festival, Gilles Jacob, reservará um filme-surpresa para Manoel Oliveira.

A convite de Jacob e da comissária europeia para Media, Viviane Reding, Pinto Ribeiro e os seus homólogos da União Europeia participarão também num encontro informal em Cannes.

Nesta edição do festival de Cannes haverá apenas dois filmes portugueses em exibição oficial: “Aquele querido mês de Agosto”, de Miguel Gomes, que passará na Quinzena de Realizadores, e a animação “Até ao texto do mundo”, de Carlos Silva, António Costa Valente e Vítor Lopes.

Em Cannes são esperadas dezenas de estrelas de cinema, entre as quais Scarlett Johansson, Javier Bardem, Penelope Cruz, Harrison Ford, George Lucas, Steven Spielberg e Angelina Jolie.

O Primeiro de Janeiro


PortugalVivo

Tous droits réservés (Portugal Vivo®) Ce site ainsi que sa charte graphique sont protégés par un copyright© international qui interdit toutes reproductions mêmes partielles.
La société Portugal Vivo® est habilitée à poursuivre toutes personnes morales ou physiques violant le copyright©
Dans le cadre de la revue de presse, Portugal Vivo utilise des articles ou photos dont il nâ€â„¢est pas lâ€â„¢auteur. Ces éléments restent la propriété de leur auteur. Portugal Vivo cite systématiquement le journal source avec un link vers celui-ci.
Mentions Légales : PORTUGAL VIVO - 102 avenue des Champs Elysées, 75008 Paris - France | SARL au capital de 15.000 ââ€Å¡¬uros - R.C.S. Paris B 441 119 286 | Représentant Légal : Jorge Loureiro | email : net@portugalvivo.com